Michele Collins assume Comissão de Direitos Humanos do Recife - Michele Collins

Michele Collins assume Comissão de Direitos Humanos do Recife

“Religião é pessoal. Conta o que a maioria decidir”, diz missionária. Michele substitui Aline Mariano (PSDB) durante licença-maternidade.

Do G1 PE- Portal da Globo.com

Aline Mariano (PSDB) ao lado da Missionária Michele Collins (PP). (Foto: Agnaldo Leonel/divulgação)
Aline Mariano (PSDB) ao lado da Missionária Michele Collins (PP). (Foto: Agnaldo Leonel/divulgação)

A vereadora Missionária Michele Collins (PP) assumiu a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Vereadores do Recife durante uma reunião do grupo nesta terça-feira (18). Como vice-presidente da Comissão, ela vai assumir o posto durante a licença-maternidade da atual presidente do grupo e líder da bancada de oposição, Aline Mariano (PSDB). No lugar dela, como vereador, assume o suplente Wanderson Florêncio (PSDB), que vai ficar ao lado dos colegas Priscila Krause, André Régis e Raul Jungmann.

Aline Mariano informou que fez requerimento à presidência da Casa para que o seu suplente também pudesse integrar Comissão de Direitos Humanos. “Pelo regulamento interno não seria permitido. Fiz esse pedido porque o vereador compartilha das minhas ideias e deverá ajudar nas futuras discussões do grupo”, justificou. A parlamentar ainda acrescentou que transmitiu o cargo para Michele Collins sem deixar nenhuma pendência. “Todos os projetos foram discutidos. Espero que os trabalhos sigam no fluxo positivo” ressaltou Aline Mariano.

Nesta quarta-feira (19), Michele Collins garantiu que suas ideologias e sua religião não serão impostas na Câmara. Para ela, o que vai valer na discussão dos projetos será sempre o voto da maioria. “Independente do que vier, a questão da religião é minha, pessoal. Eu tenho meus valores, mas não posso levar para o seio da Comissão, não posso interferir numa coisa que é da coletividade. Conta o que a maioria decidir” ,afirmou.

 Ela disse também que foi muito questionada com relação ao projeto de ‘cura gay’, aprovada na comissão de Brasília, em sessão presidida pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), também na terça-feira. “Ontem mesmo já vieram falar sobre isso comigo. Ele não pode aprovar nada sozinho, do mesmo jeito que eu não posso aprovar nada sozinha, mesmo presidindo a comissão”, esclareceu. “Não é só em Direitos Humanos. Em qualquer outra comissão, o que prevalece é a maioria”, concluiu.

Durante a reunião de mudança de cargo também estiveram presentes as assessorias dos vereadores-membros da Comissão, além de Wanderson Florêncio. A próxima reunião da Comissão de Direitos Humanos está agendada para o dia 2 de julho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.