Comissão de Direitos Humanos recebe Movimento Nacional de Luta pela Moradia - Michele Collins

Comissão de Direitos Humanos recebe Movimento Nacional de Luta pela Moradia

As questões relacionadas ao direito a moradia, situação de famílias foram debatidas na reunião da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania, nesta segunda-feira (22), na Câmara do Recife. Na ocasião, foram recebidos dois integrantes do Movimento Nacional de Luta de Moradia (MNLM), que mostraram as dificuldades enfrentadas pela população que vive em condições de vulnerabilidade social.

Presidente da comissão, a vereadora Michele Collins (PP) afirmou que ações serão realizadas para verificar os problemas, que envolvem falta de investimentos e retirada de famílias de suas habitações, e para apontar possíveis soluções. “A gente vai fazer um trabalho de força-tarefa junto aos movimentos sociais. Precisamos nos unir com quem está na ponta trabalhando com as comunidades e saber a necessidade real de cada pessoa. Recebemos um pleito que traz muitos detalhes sobre como está acontecendo essa política no Recife, que está deixando a desejar.”

Segundo o representante do MNLM, Paulo André de Araújo, as más condições de moradia no Recife não apenas chamam a atenção: representam um risco às pessoas. “Viemos fazer um relato da situação de vulnerabilidade que famílias que são acompanhadas pelo movimento em relação à ausência de política de moradia popular. Hoje, trabalhamos com 17 comunidades, que somam em torno de cinco mil famílias, só na cidade do Recife. É importante que esta Casa possa debater e contribuir, com o Poder Executivo, com uma solução para essas famílias. Na situação de precariedade em que vivem, as pessoas correm risco de vida.”

A primeira iniciativa a ser realizada pela Comissão será uma visita à comunidade de palafitas do bairro dos Coelhos. A ação vai acontecer na manhã do dia 8 de maio.

Pareceres – Além do debate sobre o direito à moradia, a Comissão de Direitos Humanos debateu e aprovou pareceres a sete projetos que tramitam na Câmara. Foram distribuídos aos relatores outros 15 projetos, que devem ser discutidos nas próximas reuniões do grupo.