Michele Collins se posiciona contra transcrição de boletim da Associação Médica Brasileira

 

A transcrição, nos anais da Câmara do Recife, de um boletim da Associação Médica Brasileira (AMB) que salienta a ineficácia do chamado “kit covid”, composto por medicamentos como ivermectina e cloroquina, foi alvo de debates nesta terça-feira (20). Durante a reunião Ordinária remota da Casa, os parlamentares discutiram o requerimento da transcrição, de nº 2036/2021, de autoria da vereadora Cida Pedrosa (PCdoB). Na tribuna virtual, a vereadora Michele Collins (PP) se manifestou contrariamente ao pedido, que acabou sendo aprovado pelo plenário.

 

Em seu discurso, Collins disse não considerar “verdadeiras” e “legítimas” as informações da nota técnica. “Esse boletim é completamente falacioso. Gostaria de dizer aos vereadores que vão fazer a votação agora que não cometam esse erro”.

A parlamentar afirmou que diversas associações médicas teriam pedido desligamento da AMB após a divulgação da nota. “Não estou aqui discutindo a eficácia de medicamento, mas a veracidade e a legalidade do documento que os vereadores da cidade do Recife vão votar”.

Em seu site, a AMB informa que houve um erro que listou como signatárias da nota as associações que são apenas afiliadas à entidade – o documento técnico havia sido elaborado por um Comitê Extraordinário de Monitoramento da Covid da própria Associação. Com isso, 21 afiliados, ou 26% do total, pediram retirada de seus nomes da subscrição. A AMB republicou o boletim com essa correção.