Michele Collins repercute marcha contra as drogas no Recife

A vereadora Missionária Michele Collins (PP) subiu à tribuna da Câmara do Recife nesta terça-feira (5) para falar sobre a Marcha das Famílias Contra as Drogas, evento que aconteceu em diversas cidades do país no último domingo (3). De acordo com ela, as manifestações visavam se posicionar contra um julgamento do Supremo Tribunal Federal que poderia retirar a proibição ao uso e ao porte de drogas. A votação, marcada para a próxima quarta-feira (6), foi adiada.

A ação, um Recurso Extraordinário ligado a um caso de penalização por porte de maconha, tramita no STF desde 2015 e discute se o artigo 28 da lei do Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas seria inconstitucional. O dispositivo da lei penaliza quem usa ou porta drogas sem autorização. Três ministros do Supremo já se posicionaram pela inconstitucionalidade dessas penas.

“A Marcha aconteceu no Recife e em mais de 70 cidades do nosso País. É uma organização da sociedade civil e que teve o objetivo de falar ao Supremo, que estava para discutir essa questão. Graças a Deus, retiraram da pauta. Participaram famílias que perderam filhos para as drogas, pessoas que cuidam”, disse Michele Collins.

Para a vereadora, a discussão sobre as drogas não deveria ser feita no STF. Não há previsão para o retorno da ação à pauta do Supremo. “Isso é algo sério. É uma discussão que deve ser feita com a população, dentro do Congresso Nacional. A família recifense, a maioria, não concorda com o uso das drogas. Não quer a liberação. E, por isso, fomos às ruas. O Supremo precisa ouvir a população e a voz dos nossos representantes.”