Michele Collins participa do 15º Mutirão pela Vida na Alepe

A vereadora Missionária Michele Collins participou, nesta quinta-feira (28), da 15ª edição do Mutirão pela Vida, no pátio da Assembleia Legislativa de Pernambuco (ALEPE). O evento alerta sobre os ricos do uso e abuso de drogas lícitas e ilícitas. A iniciativa acontece em alusão ao Dia Internacional Contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas, comemorado no dia 26 de junho. Foram realizadas palestras, debates, triagem, depoimentos de ex-usuários de drogas.

Para a vereadora o evento mostra o trabalho realizado pelas Comunidades Terapêuticas (CTs) no acolhimento aos dependentes químicos e seus familiares. “As comunidades terapêuticas recebem muitas críticas, mas o trabalho desenvolvido por elas é sério e cauteloso. Não podemos deixar que relatórios falaciosos como o da Inspeção Nacional em Comunidades Terapêuticas (2017) – do Conselho Federal de Psicologia, suje a imagem de quem trabalha recuperando vidas, onde nenhum poder público chega. Se precisar vamos cortar na própria carne, mas não podemos pagar o preço em nome de uma minoria”, enfatizou.

Além do mutirão, foi realizado um Grande Expediente Especial, no auditório Governador Eduardo Campos, na ALEPE. Na ocasião, o deputado estadual Pastor Cleiton Collins falou sobre a perseguição que as comunidades terapêuticas vêm sofrendo. “Tentam misturar as instituições que cobram e internam pessoas involuntariamente e essas que estão aqui que são comunidades que respeitam as necessidades do outro”, explicou.

O deputado propôs a criação de um selo de qualidade numa parceria entre o Legislativo, o Executivo e o Judiciário para diferenciar as que trabalham de forma séria das que não trabalham. O parlamentar defendeu a criação de uma Frente Parlamentar em Defesa das Comunidades Terapêuticas.

O juiz titular da Vara de Execução de Penas Alternativas do Tribunal de Justiça de Pernambuco, Flávio Fontes, condenou a “generalização” que as CTs vêm sofrendo. “Essas instituições devem ser aperfeiçoadas e não fechadas. Orientando as que estão fazendo errado para se adequarem. Infelizmente, o serviço público não funciona como deveria o número de jovens em situação de risco só aumenta”, pontuou. Já o secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco, Cloves Benevides enfatizou a importância do marco regulatório no Estado. “Essa ferramenta vai valorizar quem trabalha com responsabilidade cidadã e penalizar quem utiliza a nomenclatura para o mal”.

O médico e Gerente-geral de Processos de Saúde da Secretaria de Inclusão Social, Família e Direitos Humanos de Medellín, na Colômbia, César Hernández Correa ressaltou que as drogas são associadas a falta de educação, extrema pobreza, falta de oportunidade, políticas públicas, falta de emprego. Ele falou sobre a campanha “Escuta Primeiro” lançada pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e a Organização Mundial de Saúde (OMS), estratégia que implementa a família como a principal escola de formação. “A família é onde o indivíduo cria seus vínculos, sua base de transformação social, é a principal fonte de alegria. Fortalecendo o vinculo de crianças e adolescentes através do poder do amor”, ressaltou.