Parceria da Prefeitura do Recife com empresa de bebidas alcoólicas é alvo de críticas - Michele Collins

Parceria da Prefeitura do Recife com empresa de bebidas alcoólicas é alvo de críticas

Câmara do Recife »

Portal do Diario de Pernambuco

Sávio Gabriel

Publicação: 23/03/2015 20:16 Atualização: 23/03/2015 22:23

Vereadora Michele Collins (PP) fez duras críticas à associação de um espaço público ao consumo de bebidas alcoólicas. Foto: Câmara do Recife/Divulgação
Vereadora Michele Collins (PP) fez duras críticas à associação de um espaço público ao consumo de bebidas alcoólicas. Foto: Câmara do Recife/Divulgação

Apesar de integrar a base de apoio ao prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), a vereadora Michele Collins (PP), criticou a parceria que a gestão socialista fez com uma empresa de bebidas alcoólicas para revitalizar a orla da praia de Boa Viagem. A obra, concluída no último domingo (22), com a inauguração das novas estruturas do Segundo Jardim, teve um custo de R$ 12 milhões, financiados exclusivamente por quatro empresas privadas. A governista reclamou da associação de um espaço público de lazer ao incentivo do consumo de bebidas.

“O Recife virou a cidade da cerveja. Aquelas propagandas que estão espalhadas por toda a orla são um absurdo. Assim que os turistas chegarem à cidade, a primeira coisa que eles vão se deparar é com a publicidade de cerveja”, criticou Michele, que deu entrada em um projeto de lei probindo a veiculação da propaganda de bebidas alcoólicas em equipamentos públicos. A governista ainda acusou a gestão de não ter poupado sequer os espaços destinados às crianças.

Na avaliação dela, o prefeito e sua equipe não se deram conta do problema antes de fechar a parceria. “Peço a gestão que repense. Sei que vai ser difícil, porque afinal foram 12 milhões de patrocínio, mas quem arrecadou esse dinheiro deveria ter pensado antes”. Apesar das críticas, ela elogiou a requalificação da orla, especialmente as obras realizadas no Segundo Jardim.

A requalificação do Segundo Jardim, que marcou o fim das obras na orla, foi entregue no último domingo (22). Foto: Nando Chiappetta/DP/D.A Press
A requalificação do Segundo Jardim, que marcou o fim das obras na orla, foi entregue no último domingo (22). Foto: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

As parcerias foram firmadas com os grupos multinacionais Ambev e Mondelez (antiga Kraft Foods), além do Banco Itaú e da Ferreira Costa. Entre os novos equipamentos instalados, estão cinco parques infantis, três campos de futebol, cinco quadras poliesportivas, uma quadra de basquete, quadro quadras de tênis, além de pistas de skate e 30 módulos de musculação.

O oposicionista Jurandir Liberal (PT) endossou as críticas, ironizando, inclusive, a criação da Secretaria de Combate ao Crack e Outras Drogas. “O prefeito cria a secretaria, mas, para compensar, coloca propagandas de incentivo ao consumo de bebida alcoólica na orla. Não entendo isso”. A vereadora Isabella de Roldão (PDT), por sua vez, afirmou que a prefeitura deveria investir nas áreas mais carentes da cidade. “Por que ele (Geraldo) não faz isso dentro das comunidades carentes, como o Alto do Brasil ou o Córrego do Curió? Acho um contrassenso”.

Coube aos vereadores Wanderson Florêncio (PSDB) e Romerinho Jatobá (PR) sair em defesa da prefeitura. “Eu defendo que se busque, na iniciativa privada, ferramentas que possam trazer para a cidade equipamentos importantes”, afirmou o tucano, acrescentando que, diante da dificuldade financeira pela qual o Recife passa, o prefeito encontrou uma alternativa “criativa” para requalificar a orla. Ele sugeriu, inclusive, que a mesma iniciativa fosse utilizada para requalificação dos mercados públicos. “Os doze milhões que a prefeitura economizou podem ser investidos em outras áreas, como saúde e educação”, acresentou Jatobá

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.