Michele preside debate sobre a Saúde da Mulher - Michele Collins

Michele preside debate sobre a Saúde da Mulher

Bancada feminina realiza debate sobre a Saúde da Mulher
Foto: Agnado Leonel

A bancada feminina da Câmara Municipal do Recife, promoveu, ontem, reunião pública, na manhã para debater o tema “Saúde da Mulher”. O encontro foi presidido pela vereadora Missionária Michele Collins ( PP). De acordo com Michele, desde que o Ministério da Saúde rompeu com o modelo de serviço exclusivamente materno-infantil e adotou um atendimento mais amplo para a mulher, é necessário discutir e implantar os novos sistemas, dentro da perspectiva das necessidade.  A bancada feminina, com cinco membros, é a maior da história da Casa de José Mariano.

O evento integra a programação do Dia Internacionada Mulher, que se estenderão por todo o mês na Câmara Municipal do Recife.  Ao iniciar a reunião, Michele Collins reconheceu que os serviços públicos dispõem de programas que atendem às questões da saúde da mulher e avançaram na gestão. No entanto, questionou a forma como é feita o atendimento  nos postos, policlínicas e hospitais públicos, além de  querer saber  o que as mulheres precisam fazer para ter acesso a esses serviços, e como disseminar as informações sobre os tipos de câncer que acometem as mulheres.

Participaram da reunião as vereadoras Irmã Aimée (PSB), Priscila Krause (DEM) e Isabella de Roldão (PDT).

Duas médicas ginecologistas e obstetras comandaram dos debates: Jane Barros, da coordenação técnica da Secretaria de Saúde do Estado, que fez uma abordagem de temas polêmicos; e Isabela Coutinho, da gerência de Saúde da Mulher da Prefeitura do Recife, que falou sobre os cânceres de colo de útero e de mama.

Entre os anos de 2010 e 2011, segundo Isabela Coutinho, a incidência de câncer de mama no Recife atingiu o índice de 84.25 mulheres em cada grupo de 100 mil; e o de colo de útero, 22.5 mulheres também em cada 100 mil. A médica apresentou dados do Datassus e afirmou também que, no ano de 2010, foram registrados 253 óbitos decorrentes de câncer de colo de útero em Pernambuco.
“Esses dois tipos de câncer têm 100% de chance de cura, se a lesão for detectada no início. Basta que seja feito o diagnóstico precoce. Mas, embora haja facilidades, nem sempre os serviços públicos são procurados para a realização dos exames. Falta um trabalho de sensibilização. Muitas vezes as mulheres fazem os exames, mas não aparecem para pegar o resultado”, lamentou Isabela Coutinho.

Para fazer os exames de colo de útero, disse ela, basta que as mulheres procurem os postos de saúde ou policlínicas municipais do Recife, onde são realizados os exames ginecológicos. “Esse exame não precisa de encaminhamento médico. Basta a mulher chegar e agendá-lo. Já o de mama, precisa-se de consulta médica nos postos e o médico em seguida encaminha a paciente para a cultura gineceológica. Acima dos 50 anos, esse exame deve ser anual”, afirmou.

A técnica da Secretaria de Saúde do Estado, Jane Barros, complementou a informação, dizendo que todos os grandes hospitais públicos de Pernambuco oferecem tratamento hospitalar, quando os casos são diagnosticados precocemente.   “A saúde da mulher é um campo vasto e é necessário tratá-la em todos os aspectos, no que diz respeito ao bem-estar físico, social e mental”, afirmou.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.